Igrejas, Capela, Catedral

As Igrejas, desde os inícios dos tempos, são locais de culto onde se pregam os ensinamentos de Cristo segundo os princípios cristãos e onde os fiéis formam parte de uma comunidade ligada pelos laços de doutrina e fé.

Com o passar dos tempos, começaram a adquirir uma vertente turística devido aos seus detalhes decorativos, históricos e arquitectónicos muito procurados pelos viajantes.

O Turismo Religioso ligou-se à peregrinação, são vários os peregrinos que se deslocam para lugares sagrados de modo a cumprir as suas promessas e, uma vez nas cidades, visitam as mesmas e os monumentos existentes.

Mesmo com fés e crenças diferentes, são vários os turistas que procuram as Igrejas portuguesas para visitar de modo a conhecer as suas histórias e contemplar a beleza das mesmas.



1. Igreja dos Carmelitas

Localizada entre a Praça de Carlos Alberto e a Rua do Carmo, a Igreja dos Carmelitas foi inaugurada em 1628 e ocupada pelos Frades Carmelitas Descalços.

A sua fachada em estilo barroco e de cantaria granítica, possui três arcos com as imagens de São José, Nossa Senhora do Carmo e Santa Teresa de Jesus. A sua torre sineira está revestida de azulejos azuis.

No interior, destaca-se a talha dourada no mesmo estilo barroco/rococó nas capelas laterais e no altar-mor.

Nos dias de hoje, o seu convento, inicialmente construído para albergar os padres, é um quartel militar da GNR.

Muito próxima da Torre dos Clérigos, esta igreja encontra-se geminada a Igreja do Carmo, ambas classificadas como “Monumento Nacional” em Maio de 2013.



2. Igreja do Carmo

A Igreja do Carmo foi construída entre 1756 e 1768 no estilo barroco/rococó, segundo o projeto do arquiteto José Figueiredo Seixas.

Na fachada é possível contemplar a Santa Ana, a patrona desta Igreja, e na porta da entrada, os profetas Elias e Eliseu. A fachada lateral encontra-se revestida de azulejos com cenas alusivas à fundação da Ordem Carmelita e ao Monte Carmelo desenhadas por Silvestre Silvestri e pintadas por Carlos Branco no ano de 1912.

Já no seu interior, é destacada uma excelente talha dourada nas capelas laterais e no altar-mor, a estatuária e diversas pinturas a óleo.

Um local a não perder é a “Casa Escondida”, a casa mais estreita da cidade, localizada entre a Igreja do Carmo e a Igreja dos Carmelitas, construída devido a uma lei em que proibia duas igrejas de partilharem a mesma parede.

Para informações sobre visitas e preçário, por favor consultar:

https://www.facebook.com/tourCarmoPorto/



3. Igreja da Trindade

Localizada na parte de trás da Câmara Municipal do Porto na Praça da Trindade, encontramos a Igreja da Trindade. Construída durante o século XIX pelo arquitecto Carlos Amarante, encontra-se integrada num complexo hospitalar da Ordem Terceira da Santíssima Trindade desde 1755.

A sua fachada em cantaria de granito e em ressalto, apresenta três portais com arco pleno com letras douradas sob um fundo vermelho, divide-se em dois andares e três panos coroados pela torre sineira central.

Com uma planta em cruz latina e capela-mor profunda, esta igreja reflete o estilo neoclássico apesar de contar com alguns detalhes barrocos. No seu interior é possível admirar o trabalho de mármore e os retábulos de talha dourada tal como uma nave única coberta por abóbada.

Conta-se que neste local ocorreu uma visão da Santíssima Trindade e de anjos a cantar.



4. Igreja de Santo Ildefonso

Inaugurada em 1739, a Igreja de Santo Ildefonso encontra-se na Praça da Batalha, perto do Teatro Nacional São João. Antigamente neste local existia uma ermida medieval, uma capela antiga conhecida como Santo Alifon mas foi mandada demolir em 1709 pois corria o risco de ruir.

Construída em granito, o corpo da igreja apresenta a forma de um octógono com tectos decorativos em gesso. A sua fachada, preenchida de azulejos que retratam cenas da vida de Santo Ildefonso e imagens figurativas dos Evangelhos, conta com duas torres sineiras e um recesso rectangular onde consta a figura da padroeira. Cada torre possui esferas de alvenaria, uma cruz de pedra e uma bandeira de metal.

Duas características muito notáveis do edifício são o retábulo e a telha azul e branca criados pelo arquiteto Nicolau Nasoni.

Para informações sobre horários, por favor consultar: https://santoildefonso.org/horarios/



5. Capela das Almas

Com traços muito simples e uma beleza artística rara, este edifício religioso é muito conhecido pelos seus azulejos azuis apesar de que, inicialmente, foi construído em madeira no século XVIII. Nestes mesmos azulejos, colocados no século XX, é possível ver episódios das vidas de Santa Catarina e de São Francisco de Assis.

De estilo neoclássico, os altares da nave e o altar-mor estão dedicados a Nossa Sra. de Fátima, a Nossa Sra. da Conceição, a Nossa Sra. das Dores, ao Sagrado Coração de Jesus e ao São João. Existindo também uma imagem da Nossa Senhora das Almas no interior desde o início da sua construção.

Na fachada principal podemos observar um janelão com um vitral que representa as almas, criado pelo pintor Amândio Silva na segunda metade do século XX.

Situada no coração da baixa portuense, mais propriamente na Rua Santa Catarina, é muito visitada pelos turistas e por devotos, nacionais e internacionais .

Para informações sobre horários, por favor consultar: https://santoildefonso.org/horarios/



6. Sé Catedral do Porto

Em estilo romano-gótico e erguido nos séculos XII e XIII, este edifício religioso apresenta um aspecto de fortaleza devido às duas torres laterais com cúpulas e a rosácea que se encontram na sua fachada.

A sua construção iniciou-se no século XX e já sofreu várias reconstruções o que explica a existência de diferentes estilos. A maior parte da catedral é barroca, enquanto a estrutura da fachada e o corpo da igreja são românticos, e o claustro e a capela de São João Evangelista são de estilo gótico.

Construída na parte mais alta da cidade, a Catedral da Sé do Porto é um dos edifícios mais religiosos mais importantes do Porto tendo sido declarada como Monumento Nacional.

No exterior da Sé, na praça, é possível observar uma coluna que era utilizada para enforcar os criminosos.

Um local imperdível pelas suas vistas privilegiadas para a cidade e para o Rio Douro.

Para informações sobre horários, por favor consultar: https://www.diocese-porto.pt/pt/catedral-do-porto/


2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Museus