Cruzeiro das 6 Pontes

Atualizado: 9 de set. de 2021

O Rio Douro e as suas imponentes pontes são das principais características da cidade do Porto. Desta forma, foi criada a agradável viagem no típico barco rabelo, utilizado para transportar os barris de vinho do vale do Douro até às adegas em Vila Nova de Gaia. Este passeio tem duração de 1 hora e pode apreciar as duas margens, bem como as 6 pontes que encontra durante a viagem.

Agora faremos um circuito de travessia do rio Douro para admirar as 6 pontes. As margens do rio Douro são ligadas pelas 6 pontes do Porto e Gaia. Cada uma com diferentes estilos e histórias.


Cruzeiro das 6 Pontes - Reserve

1. Ponte da Arrábida

A ponte mais ocidental é a Ponte da Arrábida. A sua construção foi importante, pois não existia ainda uma ponte rodoviária, que era necessária devido ao movimento crescente da cidade. O responsável por esta obra-prima foi o engenheiro Edgar Cardoso, a obra foi inaugurada em 1963. Após ter sido erguida, foi considerada como a maior ponte de betão do mundo. De sublinhar, o projeto inicial tinha duas faixas de rodagem e passeios laterais para passageiros, mas também foram construídos quatro elevadores instalados nos pilares laterais.

Os quatro grandes pilares que completam a área central da ponte apresentam esculturas de bronze, integradas ao espírito inovador e estética modernista da Ponte. Esta ponte é atravessada pela Auto-estrada n.º 1 (A1) que liga a zona do Campo Alegre, do lado do Porto, com a zona da Arrábida, do lado de Vila Nova de Gaia. Esta obra, em 2013, foi classificada como monumento nacional. Por curiosidade, desde 2016 que é possível visitar este maravilhoso arco e apreciar a sua espantosa vista para o rio Douro e cidade do Porto, na qual está incluída uma pequena degustação de vinho do Porto.

A Ponte da Arrábida apresenta 500 metros de comprimento, 70 metros de altura no nível do rio e um arco com 270 metros.




2. Ponte D. Luís I

A Ponte D. Luís I foi projetada pelo engenheiro Théophile Seyrig, discípulo de Eiffel. Este ex-libris da cidade veio substituir a ponte pênsil Rainha Maria II, obra dos engenheiros do Bigot e Mellet, inaugurada em 1842 e demolida em 1887 para dar lugar à ponte que homenageia o então rei D. Luís I. A construção da Ponte Rei Luís I iniciou-se então em 1881 quando foi adjudicada à Société Willbreck, mas apenas 5 anos depois foi inaugurada, tendo tido o orçamento de apenas 369 contos. Efetivamente, com 395 metros de comprimento, a Ponte D. Luís foi considerada a ponte com o maior arco de ferro do mundo, contudo nos dias de hoje o título pertence à China.

Atualmente, a plataforma superior da ponte D. Luís está reservada à passagem do metro e aos peões, enquanto que o tabuleiro inferior é para circulação rodoviária e peões. Em 1996, este monumento foi classificado e incluído como Património Mundial pela UNESCO. Por fim, em 2019, a European Best Destination elegeu a 21 de Dezembro a ponte D. Luís I como uma das 15 pontes mais bonitas da Europa.

A Ponte D. Luís I tem um planalto superior com 395 metros de comprimento, caixa inferior de 174 metros de comprimento e um arco de 172 metros.




3. Ponte Infante D. Henrique

A Ponte Infante D. Henrique, batizada em honra ao Infante D. Henrique, O Navegador, teve início em 1999 e foi inaugurado a 30 de Março de 2003, pelo engenheiro responsável José António Ordóñez da empresa espanhola IDEAM. Erguida para ligar a zona das Fontainhas à Serra do Pilar, em Vila Nova de Gaia, esta ponte foi construída com 371 metros de extensão e 20 metros de largura e um arco de 280 metros. A principal intenção da ponte foi aproveitar os imponentes maciços rochosos de ambas as margens, seguindo a tipologia usada pelo engenheiro Robert Maillart, na qual defendia que o arco estruturalmente funciona em conjunto com a rigidez do tabuleiro.




4. Ponte Maria Pia

A Ponte Rainha Maria Pia foi a primeira ligação ferroviária da cidade que transportava a Linha Norte, projetada como a primeira grande obra do engenheiro francês Gustave Eiffel no Porto, realizada com um grande arco que sustenta a via férrea de 354 metros e 61 metros de altura. Esta emblemática ponte iniciou a sua construção em janeiro de 1876 e foi inaugurada no ano seguinte. Todavia, está encerrada desde 1991, pois foi substituída pela ponte de São João. Em 1982 foi classificada como “Monumento Nacional” pelo IGESPAR e em 1990 foi considerada como “Internacional Historic Civil Engineering Landmark” pela American Society of Engineering.